Palavras ao Vento

ano VIII ...entre os catetos da hipotenusa e os versos do soneto...

Bombons e Ogiva Nuclear

Publicado por Cristiano Nadai under , , on segunda-feira, junho 23, 2008
Ah o amor!, faca de dois gumes. Combustível para poetas, mas a Guerra de Tróia foi por Helena? Pelo o que mal me lembro sim.

O love e o ódio são dois irmãozinhos gêmeos que andam sempre de mãos dadas, às vezes o menos querido da um passo à frente e chega primeiro, mas pouco tempo depois vem o mais bonitinho atrás e fica em seu lugar (e como são lindas essas mudanças). O conflito é quando a historia se inverte...

Não, ainda não quis matar ninguém, mas ex é sempre complicado. Se pudesse simplesmente teclar delete.
Imagine só, a pessoa te dispensa; joga o mundo em suas costas; e te envia, com passagem só de ida, lá para as profundezas do seu inferno pessoal e depois vem dizer que acha que você esta estranho, que não da mais atenção para ela, vem te chamando de amor...
Penso que fazemos escolhas, há casos e casos, mas quando não termina bem, pedir para ser o amiguinho pode ser ate irônico, muro de lamentações, não mais (perdeu a sua vaga rs).
Pouco conheço o amanhã, o tempo constrói e desfaz tanta coisa... Mas por hoje, passado é passado e só!
Em off: (foi baseado em fatos reais, mas agora quase fosseis)

15 deixaram suas marcas:

tarciso disse... @ 24 de junho de 2008 08:21

Cris. Bom será quando isso não causar qualquer marola em teu coração e ela nem mesmo seja lembrada como uma "ex"... daí será apenas mais uma conhecida, uma colega, uma amiga conforme as circunstâncias e a própria pessoa em causa! Enquanto o nome e a pessoa provocar algum frisson, é quase um certo sinal que o affair resiste a morrer e ainda jaz adormecido. Nada como o tempo para amainar dores latentes e curar feridas do coração.

cris santos disse... @ 24 de junho de 2008 09:13

Sim Tarciso, Confesso que de certo modo, as vezes me preocupo mais em esquecer o passado do que viver o presente...
Isso só torna tudo mais dificil.
O que me alivia é que fez realmente sentido à alguns meses atrás, hoje é (quase) só mais um texto...
(ainda vou copiar, colar os seus comentarios e transformar em post ^^)
Abraços!

Cris disse... @ 24 de junho de 2008 09:18

Ah...São tão maravilhosas essas sensações do "não entender" o que nos vai pelo coração, Cris. Machuca? Claro que sim...Chega às raias do masoquismo, até. Mas energizam e enquanto sobrevivem, eu creio que têm como habilidade maior, deixar caminhos abertos pra uma retomada ao amor. Isso pode parecer juvenil, mas eu brindo o amor em tempo integral e você sabe disso. Acredito realmente. Um beijo grande e deixa como está. Porque no momento em que parar de acontecer, geralmente é sinal de que outros olhos prenderam o seu. Tô torcendo, aqui...rs*!

Olhos Virtuais disse... @ 24 de junho de 2008 13:33

Ah o amor é uma coisa muuuito complicada msm....

Esse blog é bem bacana. voltarei mais vezes.

abraços

Jú Maria disse... @ 24 de junho de 2008 23:18

As palavras que você jogou a ovento bateram em minah porta e as deixei entra rs...
Primeiramente, PARABÉNS, seu blog é lindo de mais. VOcê escreve super bem :)
Sobre o post, como projeto de historiadora, posso afirmar qeu segundo a Ilíada, sim, a Guerra de Tróia foi por Helena, mas na rela na foi bem assim, e isso me faz pensar que na vida acontece o mesmo, quando se fala de amor, tudo é mágico, mitologico, logo imaginmos o ar repleto de coraçõezinhos e sinos, mas sabemos que esse amor ocorre diariamente e que há fatores qeu interferem no mito, tiram um pouco da mágica... Porém o que fica pra história, é o mais importante, o sentimento :). Fico extremamente feliz por saber que homens tem sentimentos rs (eita visão feminista, ou seria maxista a minha).
Acho qeu escrevi demais...

ps.:
qnd descobrir onde ficao delete dos ex me avise ;).

Adorei te visitar :D

biazinha disse... @ 25 de junho de 2008 11:17

Dizem que amor não acaba, dizem que ele apenas se transforma, mas quando há realmente amor, né? Paixão é paixão. E eu não sei ainda como termina uma história de paixão que poderia caminhar pro amor. Só sei que deve doer demais. Devido a minha pouca experiência de vida, eu encaro sempre os desafios que a vida me oferece... É covardia se proteger da dor, do sofrimento. Estamos aí mesmo para passar por alegrias e provações. Aprendi aos trancos e barrancos que a sensação de perda ou de rejeição dói demais.
Acredito também que o tempo tem sua dinãmica própria e que você e sua dor caminharão junto dele, e um dia, de repente, não mais que de repente, essa pessoa será apenas um lembrança, quiçá doce ou não.

Beijos, querido.

Dani disse... @ 25 de junho de 2008 15:12

Fantástico e real!Viva a explosão!Esse papo de ser politicamente corretos e que temos que ser amigos. Isso só ocorre com o tempo, quem é a parte que levou o fora tem q se dar o direito de ficar com raiva, chorar p depois se reeguer. Quem se levanta sem ter caído?Obviamente não são os ploticamente corretos.Beijos e parabéns.Boa queda meu amigo que o poço tem mola! Dani.

Mandiiê disse... @ 25 de junho de 2008 16:24

Ahhh, é assim mesmo. Eu nunca passei por algo assim, até por quê sou agoniada com essas coisas. Tipo, antes que ele faça, faça você, entendeu?

Mas ex é algo MUITO complexo MESMO!
Merece uma tese freudiana! :P


Beijooo!

MH disse... @ 25 de junho de 2008 19:26

Sempre viro amigo de ex.
mas que é um terreno delicado, a isso é.

Si disse... @ 25 de junho de 2008 22:17

amigo é complicado isso! tem pessoa que pensa q corre agua nas nossas veias e acabam quase chamando a gente pra padrinhos do novo casamento.
Mas isso passa, dói pra caramba mas uma hr passa.
sorte meu lindo, e obrigada pela força.
fica bem..bjsss

Giovanni D. disse... @ 26 de junho de 2008 10:02

Ah esse amor.Maldita palavra não?
Sei lá se acredito nela ou não?Tenho duvidas até se eu existo realmente ou se sou somente um reflexo insignificante.Mas voltando ao post,segundo a 'Iliada', realmente a guerra de Tróia teve inicio com o "rapto" de Helena.A palavra rapto está entre parenteses, pq pelo que sei bem,a doce Helena,não foi raptada e sim fugiu com Paris, então, a guerra de Tróia foi originada, pela "dor de corno"de Menelau, assim mesmo nada romantico não.Helena era uma sem vergonha, afinal a esposa do cara foge com outro e eu não posso dizer que ela é uma "mesalina"(que termo hein).POr isso tenho minhas duvidas sobre o amor,eu ainda acho que ele é só uma palavra a mais nesse dicionario estupido da vida.É tão facil dizer que ama e depois dar o fora com qualquer outro por qualquer motivo.O amor existe por conveniencia,enquanto ele serve é bom ter,quando não se precisa mais dele,mate-o, enterre em um buraco sem direito a velorio e deixe um vazio imenso no coração do estupido que colocava toda sua fé nquele inutil sentimento.
Quer uma dica de amigo, "comece a beber, vc nunca vai ouvir um litro de pinga dizer que te ama e minutos depois velo beijando o seu vizinho."Pense nisso.
Anão e velho são seus conceitos, seu cabeçudo com cara de peixe morto.
Abraço.
tá devendo um texto na nau.

Srtª Amora disse... @ 26 de junho de 2008 11:42

até dá pra se conviver, mas sempre é complicado... o bom de tudo, e que tudo um dia tende a passar... ainda lerei teus outros textos, ando um tiquinho longe.

por falar nisso, eu estava produzindo um texto e iria utilizar essa mesma imagem.

bjos até.

Aventureiro X disse... @ 27 de junho de 2008 01:39

Eita dor de cotovelo danada mano...
Eu esteve assim também esss dias...
Nem a carta de BEETHOVEN a sensibilizou...então vi que era apenas uma "mulher-estágio" na busca da predileta...

E sigamos em frente...

Parabéns pela autenticidade do texto... geralmente quando falamos sobre isso parecemos dupla sertaneja... hahahahahaha

Abração!

Tyellë disse... @ 27 de junho de 2008 01:43

Como sempre deixa suas palavras para analisarmos muitas coisas que não acontece só a ti, como a todos nós...Falar de amor não é coisa fácil, em momentos falamos do amor como uma coisa maravilhosa, magnífica...em outros o afastamos do belo e vemos o lado negro da desilusão, mas ai que pergunto :"Existe amor sem desilusão, ou o que seria da desilusão se não existisse o amor ?". Cris é complicado, mas não importa quantas vazes terás de sofrer depois de um amor, sofra...pois um dia, acredito eu, que um chamado verdadeiro amor baterá em sua porta...

Adoro esse espaço e fico feliz por suas visitas em meu blog, aliás não se preocupe com os direitos autorais das fotos dos winterwolf rsrsrs, um fotográfo sempre está ciente que suas imagens não são só dele, apenas divulgue as mesmas que fará um fotógrafo muito feliz, não tanto pela divulgação (que tbm é agradável) mas pela mensagem que uma simples imagem pode passar...

Caro amigo espero vê-lo sempre em meu blog...
ah e já ia esquecendo, infelizmente eu não pude ver o espetáculo do O teatro mágico, mas assim que eu souber de mais eventos deles te falo, enquanto isso aprecie as canções que são magníficas...

Cuide-se e sucesso sempre...

Verônica Martinelli disse... @ 28 de junho de 2008 22:24

Concluiu bem, passado é passado....que não passe deisso!
Tem sempre uns que jogam fora e dpois acham que podem "reciclar" o que ignorou....ah essas pessoinhas^^

Beijos´´

Postar um comentário

...entre os catetos da hipotenusa e os versos do soneto...

Não limpe os pés antes de entrar...
Tire os sapatos e sinta-se a vontade!
A casa é sua, só peço um pouco de educação e que não venha simplesmente colar uma plaquinha com o seu endereço... No mais, liberdade de expressão é tudo oque há!
Obrigado pela visita e volte sempre, Será bem vindo :)
- Obs: favor deixar algum link (vale facebook, twitter...) ou email em que eu possa responder
- Obs 2: Se preferir, utilize o formulário para contato

 

Palavras ao Vento!

Versos, prosa e erros ortográficos, tudo em conflito!
Verbos se tornam pronomes e do adjetivo se faz um ser... Sob a brisa da madrugada, marés de ideias se colidem e formam Palavras (ao Vento). Se o resultado é bom ou não, só você pode dizer...

:banners:

Protected by Copyscape Duplicate Content Software

Socialize:

Add to Technorati Favorites Arts & Entertainment Blogs - Blog Catalog Blog Directory

Comentando..

Dose diária de poesia?