Palavras ao Vento

ano VII ...entre os catetos da hipotenusa e os versos do soneto...

Em meio ao breu das estrelas

Publicado por Cristiano Nadai under , , on sábado, setembro 06, 2014

070911Ligo o rádio, escolho uma canção. As melancólicas ainda são as que mais me atraem. Dessa vez escolho Kings of Leon e “Wait for me” invade todo o ambiente enquanto acelero.
Mudei tanta coisa aqui dentro. Me perdi em esquinas e pântanos, caminhei por estradas tortas e vivi algumas fantasias para ter certeza de que  elas não me valiam de nada. Tenho errado bastante, mas por você eu me conserto. Na verdade é por mim, mas com você eu me importo mais comigo.
Preciso limpar esses vidros, não dá para enxergar muito bem o pouco que esses faróis alcançam. A estrada se tornou uma imensidão solitária e pequena em meio ao breu das estrelas. Ficar só me faz tão bem, e é quando me sinto mais perto de você e a alma transcende o corpo embriagada pela memória.
Eu gostaria tanto que você estivesse aqui e apostasse em mim… Sei que não sou o cara certo, mas poderia ser, ou o errado, não me importa… Isso depende do ponto de vista e eu só queria ser o “seu cara”. Mas sei, você brilha demais e eu não quero contaminar a tua luz. Pode chamar de medo, ou de amor, mas é melhor eu me afastar, meu bem.
Eu não tenho tanta coisa boa quanto você, gostaria que me ensinasse de novo a ver o meu lado mais bonito, mas amor não se implora e eu não conheço as regras do jogo, só quero te oferecer sempre o meu melhor, então não vou insistir quando você prefere a minha ausência… Você tem o meu  endereço, telefone e todos os contatos, seria fácil se quisesse, mas…
Sem mas! Vê se não demora! O rádio já vai escolher uma nova faixa, quem sabe dessa você gosta?

(Cristiano Nadai, inicio de setembro de 2014.)

- Devidos créditos: Imagem “Night Drive”, autoria de Justin Ouellette e retirada de: Chromogenic.net.
- Link do youtube para quem quiser ouvir: Wait for me - Kings of Leon. É uma das minhas trilhas para estrada… ;)

Em off: Gostaria tanto de aprender a escrever crônicas (ou seja o que for, em prosa) decentemente e sem tanto draaama, mas e a preguiça de reescrever metade do texto? :( haha

Sou tão clichê – Auto desintegração parte II

Publicado por Cristiano Nadai under , , on domingo, agosto 31, 2014
Cristiano NadaiSou tão clichê... All star, barba por fazer e às vezes cultivada, jeans e uma camiseta qualquer. Tímido. Pop rock, indie e alguma coisa de folk e MPB. Visão politica de esquerda, agnóstico com grande repulsa à situações que entende como manipulação da fé alheia - um tanto chato nessa parte, mas que começa a descobrir um lado espiritual - sem nome, rostos ou livros (ou partido político! - disse que era chato :P).
Humanitário, que crê no amor - que tão raras vezes pode sentir, e ainda mais raramente tocar. Aprendiz de poeta, escreveu alguns versos depois de cada (pequeno?) corte, e ao ver o amor partir, ganhou um livro - anotação mental: descobrir um jeito de pagar um preço menos caro (porque barato nunca será) pelas palavras.
Overdose de preguiça intelectual em pessoa, mas gosta de filosofia, cursou (e atua em) psicologia, e às vezes incorpora um bom leitor. Apaixonado pelo existencialismo. Gosta da diversidade e aceita as diferenças, embora menos do que o seu discurso. Brinda à imperfeição e começa a se aceitar aos poucos.
Talvez tivesse uma banda, talvez fosse fotógrafo ou desenhista profissional, talvez viveria de palavras, talvez... Se tivesse algum desses talentos.
     Sou tão clichê, mas sou tantos que sou quase original.

Pequenos pedaços do paraíso

Publicado por Cristiano Nadai under on segunda-feira, agosto 04, 2014

Horizont__by_Blutr0t 2Gosto de olhar almas. A beleza certamente atrai, mas os maiores encantos estão sempre além dos traços e curvas.  Algumas almas, de tão belas, iluminam a nossa. E por mais que os passos sigam rumos diferentes, um pouco dessa luz sempre fica.
O modo como alguém trata as pessoas e todo o universo ao seu redor, diz muito mais sobre ela do que os perfis nas redes sociais, ou a igreja que frequenta.
Não são frases feitas que trarão vida e encanto para o seu discurso. Me apaixono por olhares, não pela cor que seduz, mas pelo ponto de vista, pelo prisma único que alguns olhos conseguem ver, e expandir o nosso horizonte.
Gosto de pessoas que são pequenos pedaços do paraíso. Não só pelo sabor ou santidade, mas por nos tornar alguém melhor, por nos lembrar uma parte de nós, que as vezes nem reconheciamos mais.
Gosto de pessoas que se propõem a ser de verdade, que ainda se permitem sentir, que reaprendem com a própria história, que não se apegam aos números, e não fazem da vida e tudo mais apenas um jogo.
Há um preço, é claro... Rostos mais bonitos é fácil de encontrar, já almas, depois que você conhece bem e aprende a admirar, não se encontra algo mais belo. Até porque, não se compreende os traços complexos de uma bela alma no primeiro encontro, quem dirá em fotografias cheias de edições virtuais. É preciso tempo, o bem mais precioso que você pode dedicar a alguém.

(/Cristiano Nadai.)
Ps: Obrigado à Simone Rocha (Invólucro) pela "revisão", paciência e atenção de sempre! :D

- Devidos créditos: Imagem original “Horizont”, autoria  de Blutr0t.

Em off: Hora de voltar à prosa? Amém.

Enquanto o mundo nos devora

Publicado por Cristiano Nadai under on terça-feira, julho 22, 2014

Enquanto você se distraí com a sua novela
Se diverte e se aliena de uma só vez
Eu vou contando estrelas, vendo luzes
Que se apagam na imensidão de um morro

Preocupado e rezando para não ser
Mais uma vítima de balas perdidas
Que se encontram com corpos já cansados
De tanto procurarem  à si mesmos

   O meu espírito não se acalma, não entende
   Por mais que me amordacem, não posso me calar
   Enquanto o mundo nos devora...
   Eu não vou esperar que apaguem a última luz

Enquanto vocês conversam e dizem
Mal da última que foi embora
Eu invento desculpas pro meu filho
Que está sonhando em frente à vitrine

Tão perto e distante, nós vemos os nossos sonhos, mas não podemos pegar
Há uma parede invisível entre você e a vida
Um muro de Berlim que não nos deixa tocar o mundo
E ao deixar ver, nos faz sangrar

Nós sustentamos um estado falido, à juros de 40%
Nosso suor é mais ações na bolsa de valores

   O meu espírito não se acalma, não entende
   Por mais que me amordacem, não posso me calar
   Enquanto o mundo nos devora...
   Eu não vou esperar que apaguem, a última luz

(/Cristiano Nadai.)

Hexa ou não, ainda moro no mesmo país

Publicado por Cristiano Nadai under , on terça-feira, julho 08, 2014

Bandeira do Brasil   Ok, ainda não somos hexacampeões, passamos 90 minutos ou lamentando a partida ou exercitando o nosso lado piadista (eu incluso)... Mas nem tão ao céu, nem tanto ao mar. Foi um jogo totalmente atípico, o time alemão não me parece tão fantástico quanto o placar sugere, a base dessa seleção provavelmente estará na copa de 2018 e mais madura, em outro momento, pode conseguir um final diferente.
   Foi uma pena, é claro... Mas ainda moro no mesmo país (tão cheio de defeitos e qualidades), ainda tenho as mesmas cores pulsando nas artérias (o que não tem nada a ver com a camiseta do time da CBF). E não vai ser um placar (inesperado) no futebol que vai me fazer enxergar a realidade melhor ou pior do que é, não é o campeonato da FIFA que influenciará os números que vou digitar em outubro... E no final das contas, ainda somos o único país pentacampeão mundial.

- Devidos créditos para a imagem: retirada do site Mundocross (Não posso afirmar se é a fonte original).

(Cristiano Nadai)

Em off: Ainda escrevendo, reescrevendo e editando… rs
Em off 1: Ah, e a partir de agora, como bom sul americano, sou Argentina desde criancinha!
hehe
Em off 3: E a Alemanha já fez coisas bem mais vergonhosas do que perder de 7 x 1. E só estou falando apenas sobre a história em Copas do Mundo...

12 de junho

Publicado por Cristiano Nadai under on quinta-feira, junho 12, 2014

Mais um dia dos namorados
Mais uma data
Para estampar a minha solidão em vitrines

O comércio comemora
Nos cria roteiros para a felicidade
E vê os seus lucros aumentarem
Os bares e a industria de antidepressivos também

Mal sabemos nós...
Que por mais que estejamos com uma
Quem sabe duas ou mais pessoas
No final, sempre estaremos sós

Em off: kkkk Sem mais dramas! É que falar só de sol, felicidade e amor cansa hehe. Parabéns aos felizes casais, e nunca deixem as minhas palavras rabugentas contaminarem vocês, por favor! rs

Amor do meu dia

Publicado por Cristiano Nadai under on segunda-feira, junho 02, 2014

I_Will_Go_Until_My_Heart_Stops_by_BatDesignzNão quero encontrar novamente o amor da minha vida. Estes sempre vão embora, geralmente quando você mais precisa. E deixam um buraco de promessas e planos rasgados que leva tempo para se remendar.

Não nego o amor e já não sou mais criança para teme-lo. Apenas o quero liberto de expectativas e cobranças que o tirem a leveza da espontaneidade. Quem gosta, mal sabe do seu próprio sentir, e sempre será arriscado demais construir a sua vida na esperança de solidez afetiva no outro, embora o amor nunca seja um estado de plena lucidez.

Hoje, acredito num amor que venha por um dia, e talvez queira ficar por uma semana, um mês, quem sabe o tempo que ainda nos restar nesse mundo… Mas que seja livre de promessas, do preço e peso da eternidade. E que viva intensamente o hoje e deixe o incerto amanhã para quando o sol renascer.

Em off: Vivendo e aprendendo… Se tudo fosse teoria…

- Devidos créditos: Imagem “I Will Go Until My Heart Stops”, autoria de I-Heart Photo.

Dançando no campo

Publicado por Cristiano Nadai under on sexta-feira, maio 30, 2014

Ela vai, com toda a sua graça,
Traçando passos pela trilha da vida
Sem rumo muito certo
Sabe que roteiros são um porre
Mais vale mirar a felicidade na bússola
E ver o belo que o caminho nos trás

Ela segue, em passos leves,
Como uma bailarina dançando no campo
Desenha os seus dias distribuindo cores
Temendo amores e abraçando o caminho
Que no lance de dados, ela mesma escolheu

Ela anda, sem olhar suas pegadas,
Buscando distração pra não lembrar
Sabe que a paisagem sempre muda
Que o tempo urge e até o rio pode secar
Mas o universo conspira
E rega as flores que nem se lembra mais

E levando assim,
Aposta que a vida só pode lhe sorrir
Pode oferecer retorno, ou saudade no fim
Mas em seus sonhos
Sente que valerá cada passo

Em off: Como uma foto, embriagada de sentimentalismo, nos faz viajar...

Olhos de whisky e poesia

Publicado por Cristiano Nadai under on sexta-feira, maio 23, 2014

Bar_by_onesummeragoEncosto no balcão
E peço mais um drinque
O néon, ou o álcool,
Realçam toda curva

Enquanto tento não lembrar
Da menina dos olhos grandes
E coração ainda maior
A sorrir e me arrancar suspiros

Mas toda curva é banal
Traços ao acaso,
Exibidos como troféus
Eu não quero enfeitar a minha estante

E outra vez caio em mim
Tropeçando nas lembranças
Ah, os seus olhos...
Olhos do tamanho do mundo
Espelhos que refletem a vida em beleza maior
Quando esboça um sorriso, me embriaga
Muito mais do que esses copos de whisky

Ei garçon, me traga logo uma garrafa
Ou a presença dela, outra vez
E não se esqueça dos olhos, por favor
Neles posso enxergar poesia no mundo

Em off: Ah, esses olhos, mal sabem o quanto era bom quando olhavamos na mesma direção...
Ah, sobre as devidas edições na postagem e cia.? Qualquer hora dessas eu faço :P Feito!

- Devidos créditos: Imagem "In the bar", autoria de Onesummerago.

 

Palavras ao Vento!

Versos, prosa e erros ortográficos, tudo em conflito!
Verbos se tornam pronomes e do adjetivo se faz um ser... Sob a brisa da madrugada, marés de ideias se colidem e formam Palavras (ao Vento). Se o resultado é bom ou não, só você pode dizer...

:banners:

Protected by Copyscape Duplicate Content Software

Socialize:

Add to Technorati Favorites Arts & Entertainment Blogs - Blog Catalog Blog Directory

Comentando..

Dose diária de poesia?